"Penacova é luz e penedia, com o que quer que seja de pirenaico, trazido às proporções da ternura e rusticidade portuguesa"

Mostrar mensagens com a etiqueta parque industrial. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta parque industrial. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 15 de Fevereiro de 2011

Parque Empresarial de Alagoa pronto no início do Verão

Nos primeiros meses de Verão o Parque Empresarial de Alagoa, na freguesia de Figueira de Lorvão, deverá estar pronto para as «primeiras empresas começarem a lançar a primeira pedra» com vista à sua instalação. Quem o diz é o presidente da Câmara de Penacova, que ontem mesmo assinou a consignação das infra-estruturas referente às telecomunicações e distribuição de energia àquele parque.
Uma empreitada da responsabilidade da empresa Aquino Construção, S.A., que deverá estar concluída dentro de dois meses. Todavia, isso não significa que o Parque da Alagoa possa ser, de imediato, “ocupado”. O presidente da autarquia de Penacova explica que falta ainda garantir outro tipo de infra-estruturas, nomeadamente no que concerne ao abastecimento de água. «Dentro das próximas semanas estaremos em condições para avançar com o concurso», disse o autarca ao Diário de Coimbra, adiantando que, depois de adjudicada, a empreitada deverá ficar concluída «antes do Verão», de forma a permitir, então, a instalação das primeiras empresas.
Em causa está um parque empresarial considerado «estratégico» por Humberto Oliveira e que se tem revelado bastante “apetecível”. «Temos empresas de dentro e fora do concelho que pretendem instalar-se ali», faz notar, sublinhando a questão das acessibilidades como fundamental, uma vez que se trata de uma infra-estrutura muito próxima do IP3. Este não é, todavia, o primeiro parque, esclarece Humberto Oliveira, apontando as duas estruturas existentes na zona da Espinheira, já projectados na década de 90. Todavia, e depois de um interregno temporal bastante significativo, este parque assume uma importância especial, uma vez que, «juntamente com a infra-estrutura dos Covais, na freguesia de Travanca do Mondego», vai permitir «dar uma nova dinâmica ao tecido empresarial do concelho».

“Paragem obrigatória”

O Parque Empresarial da Alagoa foi um projecto desenvolvido pelo anterior executivo (PSD), que deu também início à obra e acabou por criar alguma polémica, «lançada pela JSD», recorda Humberto Oliveira, que criticou o facto de «termos parado as obras». «Tivemos de parar porque demos conta que não estavam contempladas as infra-estruturas», nomeadamente em termos de «telecomunicações e rede eléctrica, que hoje (ontem) consignámos» e também de abastecimento de água». «Perante isto, foi necessário parar a obra e acautelar estas situações», refere ainda o autarca de Penacova.
O Parque da Alagoa vai permitir a criação de 15 lotes e, de acordo com Humberto Oliveira, as «pré-candidaturas já lotaram o parque», tanto mais que há projectos que «ocupam mais do que um lote». Sem falar em nomes, o autarca de Penacova reconhece que há um conjunto de empresas interessadas em instalar-se no concelho e sublinha a particular “apetência” que as «novas tecnologias», ligadas à «nova economia» representam para Penacova, inclusive tendo em conta que foi o primeiro concelho ligado à Rede Nova Geração. Por outro lado, não esconde o peso que outros projectos, nomeadamente «pelo número de postos de trabalho que implicam», podem ter na decisão a tomar. Acima de tudo, trata-se, sublinha, de «melhorar a nossa economia e fazer crescer o concelho» e, no início do Verão, o Parque da Alagoa começa a ser “ocupado” e a ganhar vida.